domingo, 29 de março de 2009

2112 ...é o fim!, o ambiente

2112 ...é o fim!
é um livro de contos "lítero-futurístico-catastróficos", que fazem referência a textos e eventos brasileiros (romances, contos, músicas e a própria História).
Cada conto, com um humor às vezes dolorido, traz uma dessas histórias do passado para o futuro, descrevendo literariamente as condições ecológicas e sociais que, imaginem, prevalecerão no Brasil dos próximos cem anos.
Tem como parâmetro a suposição (mas não a torcida: esconjuro, pé-de-pato, mangalô três vezes!...) de que se manterão nossos atuais padrões de organização, produção e consumo, com seus consequentes conflitos sociais, e tudo isto em pleno aquecimento global e caos climático.
2112 ...é o fim!, a quarta capa
Não se trata de sadismo... Ainda que possa assustar um pouco o despreocupado leitor, há na proposta, creiam, boas intenções: quem sabe, alguém, lendo um desses contos, não fará algo de útil pela humanidade?...
É uma espécie da mapeamento imaginário da catástrofe social e ambiental que (toc, toc, toc!...) nos espera, mas  inclui também uma prazerosa revisão da nossa melhor produção literária e de alguns dos nossos mais intrigantes fatos históricos.
Dez destes contos foram escritos entre 2007 e 2010, visando participação em concursos de todo o país, o que orientou cada enfoque regional específico. Os demais, são recentes, feitos especialmente para complementar o projeto.
A série de contos não enfatiza, ao estilo da ficção científica, as tecnologias e as técnicas e, sim, muito mais!, as relações humanas, em suas múltiplas possibilidades.
Por imaginar um futuro criticamente real, estes contos exigiram amplo trabalho de pesquisa, grande demanda de leituras (até mais do que de escrita...) e constantes atualizações das informações, mas nada disso garante certezas...
Talvez o virtual realismo dos “crônicos” contos de “2112 ...é o fim!” possa lhes dar algum impacto...

2 comentários:

Eduardo Marculino disse...

Parabens pelo blog..
adorei....um grande abraço e muito sucesso

Margareth Bravo disse...

Guina, achei a idéia genial, já é madrugada, retornarei aqui, para me deleitar com seus contos e trocar impressões. Me aguarde! beijos